Isolamento social e trabalho: Entrevista com Thais Vale, Gerente Financeira da Captativa

Aqui na Captativa, a gente acredita que empatia e conexão são capazes de nos ajudar a atravessar esse momento bastante sério que todos vivemos. Com bom humor, autoconfiança e muita parceria, a nossa equipe está ainda mais unida. Nesse breve bate-papo, Thais Vale, nossa Gerente Financeira, conta como tem sido o cotidiano de trabalho durante a quarentena, seus desafios e desejos!

- O que tem afetado mais o seu cotidiano de trabalho na área financeira? É possível usar todas as ferramentas de modo remoto?

Como o home office já era praticado na Captativa, as minhas atividades não foram impactadas. O trabalho tem fluído normalmente, com mais demandas inclusive. Estamos trabalhando muito para que os nossos colaboradores, clientes e fornecedores não sintam nenhum impacto e possam contar conosco nesse momento tão específico para todos nós.

- Imagino que boa parte dos clientes também tenha adotado medidas de isolamento. Isso facilita na hora de contatos e comunicações?

Sim todos os nossos clientes adotaram medidas de isolamento e isso facilita bastante, estamos muito alinhados no trabalho e fortalecendo o vínculo de parceria.

- Em termos de se organizar entre família e trabalho, quais os maiores desafios deste momento?

O maior desafio é reorganizar a rotina, dividir o tempo para trabalho, homeschooling e diversão.

- O que mais sente falta do dia a dia de trabalho? Momentos de conversa e diversão com a equipe, etc?

Sinto muita falta das pessoas, dividir os dilemas, alegrias, sinto falta dos almoços, cafés e até do barulho da Paulista.

- Quais os pontos positivos (tentando ser otimista) do isolamento?

O maior ponto positivo é estar com a família, fazer todas as refeições juntos, apreciar o pôr do sol, coisas que antes só eram possíveis aos finais de semana.

03 dicas sobre saúde mental em tempos de Pandemia

Como falar com seu chefe sobre saúde mental.

Diga ao seu gestor: "Preciso de um dia de folga por motivos de saúde mental". Quaisquer detalhes além disso são desnecessários - um bom gerente deve aceitar isso sem sondar mais.

Como combater a solidão quando você está trabalhando em casa.

Os intervalos estruturados são uma maneira de ajudar a melhorar a sensação de isolamento social. Taylor Jacobson, fundador da startup Focusmate disse à revista Forbes que sua equipe se reúne semanalmente para almoços juntos no Zoom. "A intenção não é falar sobre trabalho", observa ele.

Um intervalo de 10 minutos que pode ajudar você a se sentir mais confiante durante as conversas por vídeo.

Como cuidar de sua saúde mental durante a quarentena de coronavírus.

Ficar em contato com pessoas queridas, estabelecer limites e se exercitar são algumas das maneiras pelas quais você pode se proteger contra o desenvolvimento de sintomas semelhantes aos do Transtorno de Estresse Pós Traumático.

Consulta pública sobre radiofármacos vai até 04/05

A Anvisa recebe contribuições para a Consulta Pública (sobre a regulamentação de medicamentos radiofármacos no Brasil até o dia 04/05. A consulta dirigida é destinada, principalmente, ao setor que lida com o tema, como produtores e prestadores de serviço. A participação deve ser realizada por meio de formulário específicono portal da agência. A iniciativa busca elaborar uma proposta de texto coesa e eficaz para a regulamentação dos radiofármacos magistrais (anteriormente chamados de uso in-house) e dos radiofármacos passíveis de apresentação de dados de literatura. 

Entrevista com a colaboradora: Nathalia Inouye (Analista de Farmacovigilância Sr)

Nathalia Inouye é colaboradora Captativa alocada na área de Farmacovigilância de um cliente da Indústria Farmacêutica. Com trajetória bastante variada que inclui indústria e instituições da saúde, ela nos fala sobre os desafios e pressões do trabalho – e também das gratificações – em tempos de pandemia.

- Qual a sua formação e o cargo atual?

Sou formada em Farmácia e Bioquímica pela USP e pós-graduada em Administração de Empresas pela FGV. Meu cargo atual é Analista Sênior de Farmacovigilância.

- Conta pra gente um pouco da sua trajetória profissional e suas principais atividades atualmente.

Iniciei minha trajetória na indústria farmacêutica na área de Controle de Qualidade Microbiológico em uma indústria farmacêutica. Em seguida, migrei para a área de Assuntos Regulatórios de outra empresa do segmento onde atuei por quase 2 anos. Após esse estágio, tive a oportunidade de trabalhar na área de Farmacovigilância e Informações Médicasde um grande hospital de referência, onde tive minha primeira experiência na área. Na sequência, cheguei à Captativa como Analista de Farmacovigilância Junior, alocada no cliente onde estou há 6 anos. Atualmente estou focada no time de literatura, atuando como GLA (Global Literature Associate). Sou responsável pelo monitoramento global de artigos científicos nos quais medicamentos da empresa foram citados, realizando a identificação e avaliação de eventos adversos.

- Quais dicas você daria para quem quer entrar nesta área?

A área de Farmacovigilância requer um profissional analítico, atencioso aos detalhes e organizado. É importante desenvolver habilidades como boa comunicação e resiliência, uma vez que é uma área globalizada e em constante desenvolvimento, onde a troca de informações e discussões de casos ocorrem frequentemente.

- Quais os principais desafios que enfrenta no seu dia a dia?


É necessário ter um bom gerenciamento de tempo, pois lidamos com diversas exigências e prazos requeridos pelas agências regulatórias locais e globais.

- O que considera como gratificante em seu trabalho?

Em meio ao caos em que vivemos atualmente com a pandemia, fica mais do que nunca evidente o que é essencial à vida. É gratificante fazer parte de um time dedicado à segurança dos medicamentos que promove tratamento de qualidade e melhora a saúde e bem-estar das pessoas.

Anvisa altera normas de distribuição de medicamentos

As alterações são referentes a itens como devolução de medicamentos, verificação e garantia de requisitos legais de licença sanitária e autorização de funcionamento de empresas que compõem a cadeia de distribuição dos produtos. Entre as mudanças também está a reintegração ao estoque daqueles medicamentos recuperados após roubo, furto ou qualquer outro tipo de apropriação indevida. Para isso, os produtos deverão passar por avaliação técnica para comprovar que não houve dano ou violação da caixa de embarque e dos dispositivos que garantam a qualidade, a segurança e a eficácia do medicamento. 

Houve, ainda, mudança no quesito referente à obrigatoriedade do monitoramento de temperatura e umidade, que passa a ser isenta quando o tempo máximo de transporte for inferior a oito horas, desde a partida até o ponto de dispensação do medicamento. Para acessar a nova Resolução da Diretoria Colegiada da agência, acesse: http://www.in.gov.br/en/web/dou/-/resolucao-rdc-n-360-de-27-de-marco-de-2020-250404862  

Covid-19: unir sem reunir

Em tempos de Pandemia, que tal marcar um “lanche virtual” com seus colegas de trabalho mais próximos? Cada um em sua casa pode compartilhar um gostoso café ou suco enquanto trocam ideias sobre como enfrentar estes tempos inéditos que estamos vivendo. Lembrem-se o distanciamento é físico mas podemos nos fazer presentes através da empatia e tecnologia.

Entrevista com colaboradora: Marinella Faria (Analista de Desenvolvimento de Embalagem)

Marinella Faria é colaboradora Captativa alocada em um cliente da Indústria Farmacêutica. Atuando em uma área bastante peculiar - a do desenvolvimento de embalagens para medicamentos - ela nos fala em breve entrevista sobre a sua carreira, desafios e dicas para quem quer ingressar neste segmento.

 Qual a sua formação e o cargo atual? 

Administradora de empresas e trabalho como analista de desenvolvimento de embalagem júnior.

- Quais são as principais atividades desta função e como direcionou a sua carreira para esta atividade? 

Abertura e administração de controle de mudanças e sua ações, Revisão de arte (bula e cartucho) para atualização do farmacêutico responsável, texto legal, CCDS, DCB e demais alterações regulatórias e Contato com o time global e parceiros da organização para tratativa das artes correspondentes de cada país. Minha carreira direcionou-se para estas atividades devido ao meu trabalho desempenhado como estagiária em um outro setor no cliente.

- Quais os principais desafios desta área? 

O principal desafio desta área é lidar com prazos e cobrar de outras áreas que as atividades sejam realizadas.

- Quais dicas você daria para quem quer entrar nesta área?  

Uma boa comunicação é imprescindível para trabalhar nesta área, pois cuidamos do processo como um todo, e a comunicação com as mais diversas áreas é essencial, gostar de trabalhar em equipe e manter o foco sempre no resultado, visando sempre o paciente, porém nunca esquecendo da organização.

- O que considera como gratificante em seu trabalho? 

É muito gratificante quando finalizamos um trabalho em tempo hábil, quando participamos de uma reunião e temos entendimento do assunto e um bom desempenho ou até mesmo quando chegamos nas farmácias e sabemos que tal cartucho ou bula de tal produto sofreu certa alteração e você fez parte daquilo.

 

Anvisa muda regras de registro para produtos de terapias avançadas

A Anvisa aprovou alterações nas suas normas para o atendimento de solicitações de uso de produtos de terapias avançadas não passíveis de registro face à pandemia da Covid-19.  A norma altera artigos pontuais de resolução anterior, que dispõe sobre o registro de produto de terapia avançada. A ideia é que a modificação ajude no enfrentamento da emergência em saúde pública causada pela pandemia da Covid-19. 

Neste caso, o médico assistente do paciente e a empresa ou instituto de pesquisa responsável pela fabricação do produto de terapia celular avançada, para uso em pacientes com doença causada por Covid-19, devem comunicar e encaminhar documentação simplificada à Anvisa, que contenha informações mínimas para assegurar um racional de uso e experiência clínica prévia com o determinado produto, bem como a documentação do cumprimento das Boas Práticas de Fabricação.  

Sanofi e GSK criam parceria para desenvolver vacina contra Covid-19

*Com informações da Agência Dow Jones

As farmacêuticas Sanofi e a GlaxoSmithKline anunciaram nesta terça-feira um acordo preliminar para desenvolver uma vacina adjuvante para a covid-19. As empresas devem iniciar as etapas clínicas no segundo semestre deste ano e, se aprovadas pelos reguladores, esperam que a vacina esteja disponível até o segundo semestre de 2021.

Um adjuvante – medicamento que reforça a ação de outro – é adicionado a algumas vacinas para melhorar a resposta imunológica e criar uma imunidade mais forte e duradoura contra infecções do que apenas a vacina normal. A parceria também pode aumentar a probabilidade de fornecer uma vacina eficaz que possa ser fabricada em escala.

“Essa colaboração reúne duas das maiores empresas de vacinas do mundo. Ao combinar nossa ciência e nossas tecnologias, acreditamos que podemos ajudar a acelerar o esforço global para desenvolver uma vacina para proteger o maior número possível de pessoas da covid-19”, disse a executiva-chefe da GSK, Emma Walmsley.

O presidente da Sanofi, Paul Hudson, disse que o objetivo é criar e fornecer quantidades suficientes de vacinas que ajudarão a combater o vírus. “Enquanto o mundo enfrenta essa crise mundial de saúde sem precedentes, fica claro que nenhuma empresa pode fazer isso sozinha”, disse Hudson.

Sindusfarma lança estudo com perfil atualizado do segmento farmacêutico brasileiro

O Sindusfarma publicou recentemente o seu caderno de estudos “Perfil da Indústria Farmacêutica e Aspectos Relevantes do Setor”. O mercado brasileiro de medicamentos movimentou R$ 69,04 bilhões em 2019, equivalentes a US$ 17,50 bilhões, segundo os levantamentos da consultoria IQVIA. Para acessar o pdf com as versões em português e inglês do estudo, acesse: https://sindusfarma.org.br/publicacoes/exibir/2626-perfil-da-industria-farmaceutica-e-aspectos-relevantes-do-setor