5 tendências para 2021 na indústria farmacêutica

Embora quase 100% da nossa atenção esteja voltada para o desenvolvimento das vacinas contra a Covid-19, a Indústria Farmacêutica prevê outras tendências para 2021. A consultoria americana Silverline fez uma pesquisa com 10 CEOs de grandes laboratórios e aponta algumas questões. A primeira delas, intensificada durante o ano de 2020 é a importância de soluções baseadas em integração de dados que terminam por influenciar outras tendências. Confira:

1. Integração de dados

Felizmente, as empresas farmacêuticas têm acesso a montanhas de dados. Cobertura de seguro, autorização prévia de HCP, dados de script IMS, status de abastecimento e entrega nas farmácias... o desafio é poder acessar este tipo de dados facilmente e em um só lugar.

A fim de promover a prestação eficaz de cuidados de saúde para indivíduos, os sistemas de informação de saúde devem trabalhar juntos dentro e além das fronteiras organizacionais. Internamente, isso significa atualizar os sistemas legados e combinar várias fontes de dados, como ERP e sistemas de marketing e vendas, para ser eficaz.

Um exemplo disso é a escuta de redes sociais. Isso vai além de fornecer respostas prontas em canais sociais. Trata-se de realmente ouvir o que seus clientes estão dizendo e combinar esses insights com o que sua pesquisa de mercado já lhe disse.

2. Medição eficaz

Depois de ter todos os dados em um só lugar, você precisa entender para que usá-los. Fala-se muito na indústria farmacêutica sobre como criar a experiência desejada pelo cliente e mapear isso com as interações que compõem a jornada do cliente, como conversas entre médico e paciente. Mas ser capaz de demonstrar ROI sinérgico dos esforços do canal de marketing e medidas de eficácia do envolvimento do paciente para justificar os gastos pode ser desafiador.

Se você vai investir, precisa provar o valor. O que a integração de dados e a medição eficaz parecem em ação é um painel consolidado que descreve os esforços de marketing para que você possa ver seu ROI em tempo real. Coisas como:

Dessa forma, todos podem estar na mesma página, acessando os mesmos dados, em cada ponto da jornada do cliente para entender como as coisas estão se saindo em todos os canais. Além disso, fornece dados importantes para fazer backup de suas escolhas estratégicas. 

3. Consumerização do paciente

Hoje, os profissionais de marketing farmacêutico estão sob muita pressão para entregar o que os clientes desejam, no momento em que desejam. O foco cada vez mais centrado no cliente para a indústria farmacêutica significa que as organizações não podem continuar a fazer as coisas da maneira que sempre foram feitas. Todos os pontos de contato são importantes, especialmente com os pacientes tendo mais poder sobre os medicamentos que escolhem tomar.

Criar uma experiência de paciente significa compreender seus dados (veja as tendências 1 e 2) e colocá-los em ação. Em vez de sua experiência de cliente desejada, você precisa atender seus clientes onde eles estão.

Mapeie exatamente como é para um paciente ir dos sintomas aos exames, à prescrição e além. Use tecnologia para fornecer pontos de contato empáticos quando os pacientes querem ouvir de você, fabricante da medicação.

4. Encontrar o papel da indústria farmacêutica na experiência de saúde

As empresas de biotecnologia já não são as únicas que buscam aproveitar as redes de apoio à experiência do paciente. Os laboratórios estão competindo com:

O trabalho da indústria é garantir que os pacientes recebam seus produtos com a melhor cobertura de seguro e preço possíveis. O que as empresas necessitam é garantir que todas as perguntas sejam respondidas para que os pacientes continuem aderentes - e melhorem.

Um exemplo simples é controlar os efeitos colaterais. Os profissionais de marketing podem usar pesquisas sobre quais dias de tratamento criam quais efeitos colaterais ou desafios e se comunicar de forma proativa, seja por meio de parceiros como farmácias especializadas ou diretamente com os pacientes. Se você sabe que no quinto dia seus pacientes podem apresentar sintomas gastrointestinais, certifique-se de mapear o momento de prescrição e compra e crie alguma forma de contato com o médico e o paciente para fazer o check-in e mostrar-se verdadeiramente comprometido com a saúde de todos.

5. Otimizar o desempenho por meio de treinamento interno e externo

Com qualquer dispositivo ou tratamento complexo, o treinamento é a chave para o sucesso. Vários stakeholders externos e clientes, junto com a área de vendas, precisam ser treinados e ter acesso às informações de forma rápida, fácil e eficaz.

Os níveis de educação variam muito, portanto as organizações devem fornecer ferramentas robustas de treinamento não apenas para os pacientes, mas para os vários profissionais médicos que irão interagir com eles. Isso pode ser feito através de visitas, ligações, materiais educacionais ou ligações de vídeo para injeções, fisioterapia ou tratamentos mais complexos. Como isso pode ser feito de maneira mais inteligente e eficiente?

As partes interessadas externas (por exemplo, organizações de compra dos grupos de saúde, médicos, técnicos de laboratório, enfermeiros, pacientes) e funções internas (por exemplo, operadores de call center, vendedores) precisam de acesso rápido e intuitivo às informações. 

3 argumentos para estimular o equilíbrio entre vida pessoal e trabalho no retorno aos escritórios

Em meio às notícias animadoras de possíveis vacinas, a maior parte das empresas já considera retornar, ainda que de maneira gradual e escalonada, aos escritórios. É natural que após tanto tempo em trabalho remoto, alguns colaboradores queiram “mostrar serviço” e voltar a fazer longas horas de jornada.  Você e sua equipe precisam estar totalmente informados sobre porque o equilíbrio entre vida pessoal e profissional é importante se quiserem defendê-lo com sucesso. Aqui estão algumas dicas para que você evite que a rotina da sua equipe volte ao estágio anterior ao “novo normal”:

1 - Pratique o que você prega

Os funcionários geralmente não percebem quanto trabalho o gestor faz nos bastidores para manter todos felizes e produtivos. Mas uma coisa que chama a atenção é seu comportamento dentro e fora do escritório.

Você pode pedir aos funcionários que saiam mais cedo ou tirem um dia de folga. Mas se você fica regularmente em sua mesa até as 22h e nunca tira férias, eles não vão acreditar em você.

Seu comportamento define uma expectativa, mesmo que você não tenha essa intenção. Portanto, mesmo que você seja um workaholic total, não pode construir uma cultura de equilíbrio entre vida pessoal e profissional, a menos que você mesmo viva isso.

 2 - Garanta a adesão dos executivos

Para melhorar o equilíbrio entre vida pessoal e profissional em sua empresa, faça disso uma grande prioridade estratégica. Para muitas (senão para a maioria) empresas, essa é uma grande mudança cultural. O que significa que você precisará da adesão e do apoio da equipe executiva para impulsionar a mudança desde o topo. Eles precisam ser um modelo para o equilíbrio entre vida pessoal e profissional, mas é mais do que isso.

3 - Treine gerentes para detectar e combater o esgotamento

Promover o equilíbrio entre vida pessoal e profissional não é suficiente. Você tem que garantir que os funcionários sigam a diretriz. Isso significa que você precisa treinar os gerentes sobre como identificar o esgotamento iminente e o equilíbrio entre vida pessoal e profissional. Os gerentes precisam ter poder para realizar ações significativas. Como enviar aquele funcionário em um “dia de folga de saúde mental relacionado à COVID”. O gestor não pode assumir a responsabilidade total pelo equilíbrio entre vida pessoal e profissional. Você precisa terceirizar para outros líderes e também para as pessoas com quem elas interagem todos os dias, a habilidade de sentir quando uma pausa é necessária e como se organizar para fazê-la.

CAPTATIVA entrevista: Jaqueline Beppler Lucini

Hoje entrevistamos a colaboradora Jaqueline Beppler Lucini, farmacêutica, especialista em Farmacologia e em Imunologia. Atualmente, Jaqueline é Consultora Científica em Imunologia.

Confira a entrevista completa:

P: Qual a sua formação e o cargo atual? 

Formação: Farmacêutica (UNIVALI), especialista em Farmacologia (UFLA) e em Imunologia(UFRGS) e Doutora em Processos Imunes e Infecciosos (FMUSP/Université ParisVII), cursando Licenciatura em Biologia (UNICID) e Pós graduação em Metodologia Ativa de Ensino (ICTQ). Cargo atual: Consultora Científica em Imunologia.

P: Como foi migrar da carreira acadêmica para o segmento farmacêutico? 

Ainda me encontro neste processo de transição para indústria; sou docente há 12 anos porém permaneci com dedicação exclusiva à docência nos últimos 4 anos, antes disso, conciliava a carreira de docente com a atuação farmacêutica em drogaria, farmácia pública (CAF), e hospital (público e privado). No momento estou na indústria e continuo lecionando.

P: Quais os principais desafios que enfrenta no seu dia a dia? 

Atualização constante dos produtos e seus concorrentes, manter-me centrada nas prioridades já que são muitas as demandas vindas de diversas áreas como marketing, vendas, medical, acesso etc.

P: O que considera como gratificante em seu trabalho? 

O respeito e a valorização. E uma das coisas que mais busco e que aqui estou tendo é a possibilidade do aprendizado constante. Aprendo todos os dias algo novo, não existe rotina, as pessoas são em sua grande maioria muito prestativas, companheiras, e tenho a felicidade de trabalhar num ambiente onde as pessoas se ajudam.

Dia nacional da consciência negra

Amanhã, 20/11, é o Dia Nacional da Consciência Negra mas a luta antirracista deve acontecer todos os dias. É preciso que não sejamos somente aliados mas que nos engajemos de forma contundente contra o racismo estrutural. Para isso é preciso que comecemos a desconstruir o racismo a partir de nós mesmos. 

Confira 4 dicas de leituras antirracistas para aprofundar conhecimento, despertar empatia e educar nossas famílias, amigos e comunidades no combate ao preconceito racial.

“Olhos d’agua”, Conceição Evaristo

Uma das maiores autoras brasileiras vivas, Conceição Evaristo aborda a sororidade entre mulheres negras que representam referências de ancestralidade, luta e afetos. Um livro para deixar os olhos marejados. Vencedor do Prêmio Jabuti, o mais importante da literatura nacional, em 2015.

“Quando me descobri negra”, Bianca Santana

A identidade é uma construção social e o estigma do racismo estrutural por diversas vezes impede que pessoas se reconheçam como negras e tomem posições antirracistas. Neste belo livro, Bianca Santana conta a sua jornada.

“Quarto de despejo: diário de uma favelada”, Carolina Maria de Jesus

O diário da autora, publicado com sucesso na década de 1960, passou muitos anos sem uma reedição e, consequentemente, invisibilizando o legado de Carolina para a literatura brasileira. Com um olhar aguçado para a sociedade racista e machista brasileira, esse clássico nos faz refletir sobre como ainda há no Brasil muitas mulheres enfrentando as mesmas condições da autora.

“O black power de Akin”, Kiusam de Oliveira

Literatura infantil para todas as idades. Especialmente indicado para junto a filhos e outras crianças, essa pérola leva as crianças negras a questionarem os padrões racistas da sociedade e construírem sua autoestima sem deixar de lado questões importantes como as tradições e ancestralidade dos povos africanos.

O papel do farmacêutico nas Pesquisas Clínicas

A pesquisa clínica é uma atividade multidisciplinar, que enseja conhecimentos e habilidades específicas do profissional para sua realização, dependendo da área de abrangência a ser pesquisada. A pesquisa clínica bem delineada contribui para a avaliação de tecnologias em saúde (ATS), a qual possui extrema importância no processo contínuo de análise e síntese dos benefícios para a saúde e das consequências econômicas e sociais do emprego das tecnologias em saúde, como os medicamentos e produtos para a saúde. 

O conhecimento técnico e a prática em saúde baseada em evidência a durante o curso de graduação possibilita ao farmacêutico atuar em pesquisa clínica envolvendo medicamentos e produtos para saúde, realizada por instituições especializadas, organizações representativas, indústrias ou outras instituições.

Listamos abaixo algumas atribuições dos farmacêuticos em pesquisas clínicas:

4 ideias práticas e divertidas para celebrar as festas de final de ano

Depois de toda a carga de trabalho e apreensões que todos nós enfrentamos durante este ano, chegou o momento de celebrar as festas de final de ano com o mesmo espírito de solidariedade e empatia com que temos nos apoiado uns aos outros. Apesar da exaustão, marcar estes momentos com uma atividade divertida – e que respeite as regras de distanciamento social – é importante. Como quase tudo em 2020, há uma alternativa virtual para o Natal. Veja algumas ideias práticas e divertidas. Você, seus colegas e colaboradores merecem se divertir!

Amigo oculto da inspiração:

É provável que você e sua equipe já estejam sofrendo uma fadiga do Zoom ou do Teams, então o Natal virtual pode ser rápido, diferente e emocionante. Que tal um amigo oculto em que, ao invés de passar pelo processo de comprar presentes online e coordenar as entregas para que aconteçam no momento exato da sessão online (e com grande risco de atrasos), vocês ofereçam algo simbólico como a leitura de uma carta, uma poesia ou trecho de um livro para a pessoa que você tirou? Algo simbólico que ofereça esperança, leveza e acolhimento? 

Tempo: um presente inestimável

Ofereça o presente mais desejado: tempo. No lugar de uma festa virtual ou outras atividades, pense em dar à sua equipe (e nãos e esqueça de consultar o RH antes) um dia ou meio período livre para que cuidem das suas celebrações em casa, estejam junto às suas famílias ou simplesmente para descansar. Uma folga bem-vinda antes dos recessos.

Façam uma doação:

Se a sua equipe estiver disposta, pense em como reverter parte dos recursos que seriam usados na comemoração de Natal para fazer uma doação a uma instituição de caridade, uma Ong ou uma causa que seja importante para todos. A sensação de contribuir para tornar mais feliz o natal de quem tem menos oportunidades é reconfortante.

Façam uma aula online

E que tal reservar o tempo que seria dedicado à festa de confraternização para que todos façam juntos uma aula online? Organize uma votação, oferecendo possibilidades como um workshop de panificação, uma aula de meditação ou mesmo uma consultoria de estilo ou de cosméticos caseiros. O autocuidado é o melhor presente que podemos ofertar a nós mesmos.

Captativa entrevista: Bruna Assaf Mateus

A entrevista de hoje é com nossa colaboradora @brunassaf, farmacêutica e, atualmente, Analista de Farmacovigilância.

Bruna falou sobre os principais desafios da profissão e da importância da farmacovigilância. Confira a entrevista completa:

P: Qual a sua formação e o cargo atual?

Sou farmacêutica e meu cargo atual é Analista de Farmacovigilância.

P: Quais os principais desafios que enfrenta na área de farmacovigilância?

Conscientizar as pessoas sobre a importância da farmacovigilância e que a área tem impacto direto na vida dos pacientes.  

P: A pandemia causou algum impacto no volume de trabalho ou processos?

A pandemia não influenciou de maneira significativa em volume ou processos.

P: O que considera como mais gratificante em seu trabalho?

Gosto da importância da farmacovigilância no cenário de prevenção de eventos adversos relacionados ao tratamento, ou seja, quando há um risco já identificado e nós atuamos com estratégias para evitar que o paciente apresente algum risco.

Como encontrar equilíbrio na sua jornada de trabalho remoto

Uma pesquisa recente divulgada pela Oracle afirma que 60% dos profissionais brasileiros atuando em home office durante a pandemia da Covid-19, têm trabalhado cinco horas a mais por semana. A média global fica em torno de 52%. Entre os que afirmam trabalhar até 40h a mais por mês, os brasileiros são cerca de 42% contra 35% da média global. O que fazer para buscar o equilíbrio no uso do tempo dedicado ao trabalhoquando este agora também ocupa o espaço doméstico? Fique de olho nestas dicas: 

Antes de criar uma agenda de trabalho personalizada, registre, entenda e controle o seu dia de trabalho:

Rastreie as suas tarefas com precisão para descobrir quanto tempo você de fato gasta para realizá-las. Além das tarefas do trabalho, registre qualquer atividade que ocupe seu tempo durante o dia como cuidar de crianças ou ajudá-las com as tarefas escolares. Você pode usar um aplicativo para controlar seu tempo ou usar a função de cronômetro do seu telefone e depois criar uma planilha.

Faça isso por uma semana para ter uma imagem precisa de quanto tempo é gasto em tarefas de rotina como e-mails, reuniões e processos diários de trabalho para avaliar o que mais ocupa sua agenda. Sua programação provavelmente irá variar de um dia para o outro, portanto, anote não apenas quanto tempo as tarefas demoram, mas também quando elas precisam ser realizadas.

Crie uma estrutura básica para sua agenda

Depois de saber quanto tempo é gasto com cada tarefa, use isso para criar o esboço de sua programação. Comece adicionando as tarefas que precisam ser feitas em horários ou dias específicos. Essa se torna a base a partir da qual você pode organizar o resto do dia. Não se esqueça de agendar uma pausa para almoçar, se hidratar e espairecer. Tirar um tempo do trabalho é importante para sua saúde mental, apesar de muitas vezes acharmos mais fácil simplesmente pular uma refeição ou adiar a pausa para descanso. 

Otimize sua agenda de acordo com seu nível de energia

Embora sempre haja certas restrições de programação e acontecimentos sobre os quais você não tem controle e que estão relacionados aos seus horários de trabalho, você tem alguma liberdade para otimizar seu dia. Nossa energia diminui e flui naturalmente ao longo do dia, então descubra quando você tem mais energia e capacidade para se concentrar e agende aquelas tarefas mais desafiadoras para esses momentos.

Não agende tudo minuto a minuto

O controle minuto a minuto funciona para identificar seus gargalos antes de montar sua agenda mas no dia a dia, tente não levar tão ao pé da letra. Sempre acontecerão imprevistos que afetarão seus planos. As reuniões vão atrasar, os projetos levarão mais tempo do que você espera e há dias em que seu telefone nunca para de receber notificações com e-mails e mensagens. Estruturar seu dia ajuda você a voltar aos trilhos mais rápido quando algo o atrapalhou.

Tome nota das distrações

Se você perceber que, mesmo com uma programação a seguir, ainda não está ganhando nenhum tempo livre no seu dia, procure por possíveis distrações. Você pode descobrir que certas tarefas estão demorando mais do que o previsto porque fica atento a redes sociais ou notícias por mais tempo do que imagina. Criar um cronograma de trabalho otimizado em geral requer um pouco de tentativa e erro. Continue trabalhando com ele e ajustando conforme necessário, e você logo será capaz de fazer uma melhor gestão do tempo e, assim, aprimorar o equilíbrio entre vida pessoa e profissional no seu cotidiano.

Farmacovigilância e Saúde Animal: seis razões para harmonizar relatórios com padrões internacionais

Não são apenas os humanos que se beneficiam do monitoramento e acompanhamento de eventos adversos. Medicamentos para animais, sejam eles os nossos companheiros domésticos ou os criados de forma extensiva para alimentação, também podem causar efeitos não registrados anteriormente. Os profissionais de farmacovigilância que se dedicam á saúde animal precisam estar sempre atualizados quanto aos padrões regulatórios internacionais para garantir agilidade e cooperação entre os diversos países onde um mesmo remédio é comercializado. Confira seis razões para a harmonização internacional:

1 - Um benefício fundamental de trabalhar com padrões internacionalmente harmonizados é alinhar sistemas de relatórios com diretrizes de farmacovigilância global, o que possibilita agrupar dados de forma otimizada e favorece uma detecção mais precisa de eventos adversos.

2 - Alinhar globalmente os relatos de eventos adversos é importante porque um mesmo medicamento veterinário pode ser distribuído em vários países. Ter a capacidade de agrupar e compartilhar dados de farmacovigilância sobre os produtos é importante tanto dentro da empresa que comercializa o produto quanto com os órgãos regulatórios dos países onde ele é comercializado.

3 - O alinhamento com um sistema harmonizado internacionalmente é mais econômico e permite uma implementação mais rápida ao invés vez de desenvolver um sistema nacional autônomo e único.

4- Agências regulatórias e autoridades podem cooperar de forma ágil e eficiente e até mesmo compartilharem inciativas.

5 - Ter um conjunto de padrões internacionais evita a duplicação de tarefas e a necessidade de reformatar dados.

6 - A harmonização internacional promove o comércio global e garante maior disponibilidade de medicamentos para tratar animais.

Fontes de Pesquisa: Health for Animals e The Guardian

Controle da Qualidade na Indústria Farmacêutica

A Indústria farmacêutica é um mercado fortíssimo e que a cada dia cresce mais no mundo todo. Até 2021 nosso País estima alcançar a 5ª posição no ranking mundial desta área, hoje ocupando o oitavo lugar. Mas para que possamos sempre nos manter em crescimento e evolução, é necessário garantir que a indústria farmacêutica possa oferecer sempre produtos seguros, eficazes e de qualidade.

Onde o Controle da Qualidade Atua? O controle de qualidade de medicamentos na indústria farmacêutica é responsável pela aprovação ou reprovação dos lotes de medicamentos. Quando uma decisão vai ser tomada, existem uma série de fatores que devem ser levados em consideração, com base por exemplo em algumas atividades como:

Avaliações e testes de matérias-primas
Análises laboratoriais
Inspeção de amostras
Controle de qualidade do processo produtivo
Registro de testes, processos e métodos

O Profissional de Controle da Qualidade: O profissional que atua com o controle da qualidade de medicamentos na indústria farmacêutica também precisa estar atento à questão da qualificação.

Como é Feito o Controle de Qualidade: O controle de qualidade na indústria farmacêutica atua desde a análise dos insumos de materiais de embalagens que serão utilizados, a até os produtos intermediários da produção. Quando um produto é finalizado também é aplicada uma análise para que haja a garantia de um transporte e armazenamento de qualidade do mesmo. Até que um produto seja consumido pelo paciente, este precisa ter a garantia de que estará embalado e será transportado com segurança e eficácia. Problemas como desvios de processos, mudanças que devem ser aplicadas ou, a interrupção da fabricação de determinados produtos, passou a ser muito mais fácil de ser aplicados e resolvidos com a ajuda do controle de qualidade de medicamentos na Indústria Farmacêutica.

Fontes de Pesquisa: Doctor Quality