BLOG

    artigo

    Profissões do Futuro na Indústria Farmacêutica

    Publicado em 13/07/2018

    Dizer que o mercado de trabalho em ciência está mudando seria um eufemismo. A tecnologia está transformando a indústria farmacêutica e alguns empregos deixarão de existir no futuro. Mas é empolgante ver que novos cargos surgirão no futuro e qual é o treinamento que será necessário para a força de trabalho da próxima geração.

    Conheça três apostas da consultoria global Frost & Sullivan que provavelmente se tornarão realidade em breve:

    Farmacêutico Hospitalar de Precisão

    Os pacientes futuros serão tratados com medicina de precisão como norma, tornando obsoletos alguns medicamentos farmacêuticos a granel, pelo menos para esse fim. Farmacêuticos Hospitalares irão supervisionar robôs que cuidam do processo de manipulação, alimentando-os com as informações corretas sobre os pacientes com base em sua genética e características individuais definidas por imagens e análises médicas.

    Planejador de Finanças Farmacêuticas

    A evolução de novas tecnologias são sempre caras até que se tornem mainstream. Com o ritmo acelerado do desenvolvimento de novas tecnologias para os cuidados de saúde, é provável que tratamentos de saúde avançados e medicamentos de alta qualidade possam ser demasiado caros. Essa tendência dará origem a um novo papel para a Farmacoeconomia, com os especialistas em finanças farmacêuticas não ficando restritos à indústria e passando a ocupar postos em hospitais e instituições de saúde. O planejador de finanças farmacêuticas ajudará a criar a estrutura de contas e o fluxo de medicamentos com base no acompanhamento de novas tendências e pesquisas científicas.

    Especialistas em Conteúdos de Saúde para Assistentes Virtuais

    Os decisores do setor de saúde já perceberam o poder de usar assistentes virtuais baseados em comando de voz, como o Alexa da Amazon, para dar suporte às necessidades de idosos em atendimento domiciliar ou adesão à medicação para o gerenciamento de doenças crônicas. Embora esses aplicativos ainda estejam em evolução, é provável que muito em breve surjam aplicativos adicionais para a área de saúde. Este sistema precisará de informações específicas e conhecimento sobre farmacologia, reações adversas e outros processos. Atualmente, as pessoas responsáveis pelo conteúdo dos assistentes virtuais são desenvolvedores de tecnologia e não especialistas em saúde, mas, no futuro, à medida que os assistentes de voz evoluem para atender a outras áreas da saúde, será necessário contar com especialistas que possam criar o conteúdo preciso e relevante para cada caso.